21 de Outubro

Tentarei gostar de mim mesmo

Reflexão do Dia

Há um mundo de diferenças entre a ideia de amor-próprio e amor por mim. O amor próprio é o reflexo de um ego inflamado, em torno do qual – na nossa visão distorcida da nossa própria importância – tudo deve girar. O amor-próprio é o terreno fértil para a hostilidade, a arrogância e o recipiente para outros defeitos de carácter que nos cegam a aceitar pontos de vista que não o nosso. Em contraste, o amor por si mesmo é uma apreciação da nossa dignidade e valor como seres humanos. O amor por si mesmo é uma expressão de autorrealização, da qual surge a humildade.

Acredito que posso amar melhor os outros quando posso ter amor por mim mesmo?

Hoje eu peço:

Que Deus, que alimenta o amor por mim, me ensine a ter amor por mim mesmo. Deixe-me perceber que, na realidade, os seres humanos mais arrogantes e intrometidos não têm confiança em si mesmos. Em vez disso, tendem a ter uma dolorosa baixa autoimagem, e uma insegurança que se disfarça com a pompa e armadilhas principescos. Que Deus me mostre que, quando posso gostar de mim, estou a dar-lhe o devido crédito, pois todos os seres vivos são obra de Deus.

Hoje vou lembrar-me:

Tentarei gostar de mim mesmo.