25 de Agosto

Com meias-medidas, nunca estarei inteiro 

Reflexão do Dia

Sem nos libertarmos do jogo compulsivo não temos nada. No entanto, não conseguimos libertar-nos da nossa obsessão de jogo antes de ficarmos dispostos a lidar com os defeitos de caráter que nos puseram de joelhos. Se nos recusarmos a trabalhar nos nossos defeitos flagrantes, é quase certa a recaída na nossa compulsão. Se ficarmos em abstinência, mas com um mínimo de crescimento pessoal, talvez nos acomodemos durante um tempo a uma espécie de limbo confortável, mas perigoso. Melhor do que tudo, se continuamente trabalharmos nos Passos, é seguro que encontraremos uma liberdade verdadeira e duradoura com o apoio do Poder Superior.

Estou a caminhar com a confiança de que vou finalmente na via certa?

Hoje eu peço:

Que Deus me mostre que a libertação da dependência do jogo é um estado inseguro se eu não me libertar igualmente das minhas compulsões. Que Deus me impeça de me dedicar ao Programa apenas com meias-medidas, e me faça perceber que não posso ser espiritualmente um todo se ainda me deixar dilacerar pela minha desonestidade e egoísmo.

Hoje vou lembrar-me:

Com meias-medidas, nunca estarei inteiro.