12 de Agosto

Deixar a serenidade entrar na minha vida 

Reflexão do Dia

Um dia alguém perguntou a um mestre Zen: "Como é que consegue manter essa serenidade e essa paz?" Ele respondeu: "Nunca saio do meu lugar de meditação." Embora meditasse de manhã muito cedo, transportava com ele pelo resto do dia a paz daqueles momentos. Ficar calmo, desacelerar, é uma das tarefas mais difíceis para a maioria dos jogadores compulsivos em recuperação. A ação foi um modo de viver durante tanto tempo, que tenho de aprender do zero a parar e a escutar. Começar cada dia com oração e meditação pode ser a maior recompensa de um dia inteiro. Quando escolho transportar comigo ao longo do dia essa paz e serenidade, o próprio mundo parece abrandar e mover-se ao meu ritmo, em vez de girar tão depressa que me obriga a estar sempre em corrida a ver se o apanho.

Irei desfrutar da paz sublime que advém da meditação?

Hoje eu peço:

Que os meus dias comecem lentamente, em quietude, e assim permaneçam, à medida que me vou focando naquilo que tenho diante de mim a cada momento, em vez de projetar um nevoeiro de atividades perturbadoras. Tal como a ação frenética era um sintoma da minha compulsão, a serenidade é um sinal da minha recuperação.

Hoje vou lembrar-me:

Deixar a serenidade entrar na minha vida.