17 de Agosto

A bondade é um dom divino

Reflexão do Dia

O Quarto Passo sugere que façamos um minucioso e destemido inventário moral e financeiro — não um inventário imoral de nós mesmos. Os Passos são a base para a recuperação, não são um chicote para a autoflagelação. Fazer um inventário não significa concentrar-me nos meus pontos negativos até que já não se consigam vislumbrar aspetos positivos. Da mesma maneira, reconhecer qualidades não tem que ser um gesto de orgulho ou de soberba. Se reconhecer as minhas qualidades como dons divinos, posso fazer um inventário com genuína humildade e, ao mesmo tempo, tiro prazer no reconhecimento daquilo que em mim é agradável, amável e generoso.

Tentarei acreditar nas palavras de Walt Whitman: "Sou maior e melhor do que pensava; não sabia que tinha tanta bondade dentro de mim…"?

Hoje eu peço:

Quando descobrir coisas boas acerca de mim mesmo, nesta escavação arqueológica do meu interior, que eu dê o crédito a quem ele é devido — ao meu Poder Superior, que é quem doa tudo o que é bom. Que eu aprecie tudo o que em mim é bom com humildade — como uma graça concedida por Deus.

Hoje vou lembrar-me:

A bondade é um dom divino.