7 de Janeiro

Não ser avarento, no cuidado e na partilha 

Reflexão do Dia

Começo a perceber agora como a minha velha vida era tão pouco natural, e como se foi tornando ainda pior à medida que a minha doença foi progredindo. Quanto mais tempo estou no Programa de Jogadores Anónimos, mais confortável me parece este novo estilo de vida. No início, era impossível para mim estender a mão a um recém-chegado: era um gesto completamente artificial para mim. Mas está a ficar cada vez mais fácil para mim aproximar- me de outra pessoa. Partilhar a minha experiência, força e esperança está a ficar uma parte natural da vida diária.

Já aprendi que não posso preservar o que atingi, a menos que o passe a outros? Vou arranjar tempo, hoje, para partilhar?

Hoje eu peço:

Que eu partilhe o meu amor, a minha alegria, a minha felicidade, o meu tempo, a minha hospitalidade, o meu conhecimento das coisas do mundo e a minha fé num Poder Superior. Mesmo que eu não possa ver os resultados dos meus gestos de partilha, que eu possa sentir- me feliz por esses mesmos gestos. Que partilhar, de acordo com a vontade de Deus, se possa tornar tão natural para mim como falar ou respirar.

Hoje, vou lembrar-me:

Não ser avarento, no cuidado e na partilha.