29 de Janeiro

Uma manhã de sol dispersa os pesadelos 

Reflexão do Dia

Costumava imaginar a minha vida como uma grotesca pintura abstrata: uma montagem de crises emoldurada por catástrofes consecutivas. Os meus dias eram todos cinzentos e as minhas ideias mais cinzentas ainda. Sentia-me assombrado por medos terríveis e desconhecidos. Estava cheio de aversão por mim próprio. Não fazia ideia de quem era, o que era ou porque é que era assim. Não tenho saudades de nada desses sentimentos. Hoje, passo a passo, estou a descobrir-me a mim mesmo e a aprender que sou livre para ser eu mesmo.

Sinto-me grato pela minha nova vida? Tirei uma hora do meu tempo, hoje, para agradecer a Deus por estar assim limpo e vivo?

Hoje eu peço:

Que, depois das confusões e pesadelos do passado, a tranquilidade possa chegar à minha vida. À medida que se dissipam os medos e o ódio à minha própria pessoa, que no lugar deles se instalem as coisas do espírito. Porque no mundo espiritual, como no material, não há espaços vazios. Que o espírito do meu Poder Superior me preencha.

Hoje vou lembrar-me:

Uma manhã de sol dispersa os pesadelos.