17 de Abril

Não posso alterar o passado

Reflexão do Dia

Com o Programa dos Jogadores Anónimos aprendo a defender-me contra a impaciência, contra os surtos de autopiedade e contra o ressentimento por causa de palavras e ações alheias. Embora nunca me deva esquecer de como as coisas eram no passado, também não devo deixar-me levar por viagens ao passado que me atormentam — só por morbidez e autocomiseração. Agora que estou alertado para os sinais de perigo, sei que estou a melhorar a cada dia que passa.

Se uma crise surgir, ou eu me afligir com algum problema, tento resolver as coisas à luz da Oração da Serenidade?

Hoje eu peço:

Que eu ganhe perspetiva quando analiso o passado. Que eu saiba refrear os meus impulsos para me sobrepor e sobressair entre os membros do grupo, regalando-os com os horrores do meu vício. Que eu deixe de usar o passado para justificar a minha autopiedade ou para me afundar na minha culpa. Que as memórias daqueles velhos e miseráveis dias me sirvam apenas de sentinelas, defendendo-me de situações perigosas e de atitudes pouco saudáveis.

Hoje, vou lembrar-me:

Não posso alterar o passado.