27 de Setembro

Não tenho só uma dependência

Reflexão do Dia

No passado, mesmo na idade adulta, muitos de nós, infantilmente, queríamos que as pessoas protegessem, defendessem e cuidassem de nós. Agimos como se o mundo nos devesse uma vida. E então, quando as pessoas que mais amávamos se saturaram, deixando[1]nos à nossa sorte ou até abandonando-nos completamente, ficámos desorientados. Não conseguimos perceber que a nossa super dependência das pessoas falhou porque todos os seres humanos estão sujeitos a falhas; mesmo os melhores irão por vezes desiludir-nos, especialmente quando as nossas exigências são absurdas. Em contraste, hoje dependemos de um Poder Superior, confiamos Nele, em vez de exclusivamente em nós mesmos ou nos outros.

Tento fazer o que penso que Deus esperaria que eu fizesse confiando nos desígnios da Sua vontade?

Hoje eu peço:

Que eu esteja ciente, com base nas dependências do passado, de que sou uma pessoa dependente. Tal como dependia de apostas compulsivas, também dependia de outras pessoas, esperando mais do que aquilo que me podiam dar. Que eu saiba, por fim, passar destas dependências adolescentes para uma dependência adulta e saudável do meu Poder Superior.

Hoje vou lembrar-me:

Não tenho só uma dependência.