26 de Setembro

Parar foi o meu ponto de partida

Reflexão do Dia

Será a libertação do jogo compulsivo tudo o que esperamos de um despertar espiritual? Claro que não. A libertação da nossa compulsão é apenas um mero começo; é só a primeira dádiva do nosso crescimento inicial. Obviamente, se tivermos que receber presentes maiores, o nosso despertar terá de continuar. À medida que este despertar realmente continua, descobrimos que podemos superar a vida antiga – aquela que não funcionou – lenta, mas seguramente, para uma nova vida que possa funcionar e que funcione, sob quaisquer condições.

Estou disposto a continuar a despertar, através da prática dos Doze Passos de Recuperação?

Hoje eu peço:

Que eu me lembre de como era quando o meu único objetivo na vida era livrar-me da compulsão do jogo. Todas as palavras e frases que usei eram travões – "desistir, abandonar, desligar-me de". No momento em que me libertei, comecei a ver que a minha liberdade dependia mais de um "começo" do que da "paragem". Que eu consiga agora continuar a pensar em termos de "começos" - "expandir, acordar, crescer, aprender, tornar-me.…"

Hoje vou lembrar-me:

Parar foi o meu ponto de partida.