22 de Maio

Semelhanças, não diferenças 

Reflexão do Dia

Quando, pela primeira vez, ouvi as pessoas a falar aberta e honestamente sobre si mesmas nos Jogadores Anónimos, fiquei perplexo. As histórias das suas próprias escapadas para jogar, dos seus medos secretos, da sua solidão atormentada, davam-me literalmente cabo da cabeça. Descobri (e ao princípio mal me atrevia a acreditar) que não estou sozinho, que não sou assim tão diferente das outras pessoas e que, de facto, somos todos muito parecidos. Comecei a sentir que há um sítio a que eu pertenço, e a minha solidão começou a desaparecer.

Tento dar aos outros o que, sem contrapartida, me foi dado a mim?

Hoje eu peço:

Que eu vá percebendo, à medida que as histórias dos meus amigos dos JA me são contadas, que as nossas semelhanças são muito mais im pressionantes do que as nossas diferenças. À medida que vou ouvindo os seus relatos de jogo compulsivo e de recuperação, que eu possa sentir muitas vezes aquele choque do reconhecimento, um «olha-este-sou-eu!» que rapidamente expulsa para longe o meu sentimento de estar à parte. Que eu possa fazer parte do grupo de-corpo-e-alma, dando e recebendo em partes iguais.

Hoje vou lembrar-me:

Semelhanças, não diferenças.